NA ASSISTÊNCIA SOCIAL

Da obra “Sinal Verde” pelo espírito de André Luiz – psicografia de Chico Xavier.

LIÇÃO 49

 

Imagem de arquivo

Imagem de arquivo

Aproximar-se do assistido, encontrando nele uma criatura humana, tão humana e
tão digna de estima quanto os nossos entes mais caros.
Em tempo algum, agir sobrepondo instruções profissionais aos princípios da
caridade genuína.
Amparar sem alardear superioridade.
Compreender que todos somos necessitados dessa ou daquela espécie, perante Deus
e diante uns dos outros.
Colocar-nos na situação difícil de quem recebe socorro.
Dar atenção à fala dos companheiros em privação, ouvindo-os com afetuosa
paciência, sem fazer simultaneamente outra cousa e sem interrompê-los com indagações
descabidas.
Calar toda observação desapiedada ou deprimente diante dos que sofrem, tanto
quanto sabemos silenciar sarcasmo e azedume junto das criaturas amadas.
Confortar os necessitados sem exigir-lhes mudanças imediatas.
Ajudar os assistidos a serem independentes de nós.
Respeitar as idéias e opiniões de quantos pretendemos auxiliar.
Nunca subordinar a prestação de serviço ou benefício à aceitação dos pontos de
vista que nos sejam pessoais.
Conservar discrição e respeito ao lado dos companheiros em pauperismo ou
sofrimento, sem traçar comentários desprimorosos em torno deles, quando a visita for
encerrada.

6 Comentários

  • Excelente mensagem

  • Assuntos estanques, que nos dão tempo para absorver e discutir, creio que estão no caminho certo, pois de nada adianta colocar assuntos longos, áridos e que não despertem os interesses gerais; temos de levar em conta que nem todos são estudiosos, a maioria são somente curiosos.

  • AMOR e SABEDORIA
    na acolhida.
    Uma lição para a vida toda.

  • As mensagens desse livro são muito boas.
    A tarefa assistencial que é realizada na Casa Espírita que participo procura seguir o que escreve André Luiz nessa mensagem.
    Defendo a ideia de que todas os Centros Espíritas devem priorizar e fortalecer os Estudos da Doutrina Espírita de todas as publicações do Allan Kardec, pois essa é a nossa Missão e concordo com Emannuel, quando diz:
    “(…) Lembra-te deles, os quase loucos de sofrimento, e trabalha para que a Doutrina Espírita lhes estenda socorro oportuno. Para isso, estudemos Allan Kardec, ao clarão da mensagem de Jesus Cristo, e, seja no exemplo ou na atitude, na ação ou na palavra, recordemos que o Espiritismo nos solicita uma espécie permanente de caridade – a caridade da sua própria divulgação”. (1)

    1. Estude e Viva – FEB 9ª edição, cap. 40, pelos espíritos Emmanuel/André Luiz, médiuns: Chico Xavier/Waldo Vieira.

    Fonte: http://www.oconsolador.com.br/20/francisco_reboucas.html

    Um abraço.
    Marcos Fonseca

  • Perfeito , como tudo nesse livro…
    Muito grata!

  • Bela mensagem

Deixe seu comentário para Carlos Alberto Morgado Galetti