PALAVRA DE ORDEM

Os Centros Espíritas devem, na atualidade, incrementar, ao máximo, o estudo sistemático e aprofundado da Doutrina, em conjunto com a realização de obras de cunho assistencial.
banner-trabalho-voluntarioA Caridade, em hipótese alguma, deve deixar de ser a nossa Bandeira de Luz, com a qual vimos resistindo, nas trincheiras do Ideal, às constantes estocadas com as quais as trevas nos intentam desalentar no cumprimento do dever.
Nessas horas difíceis que a Humanidade atravessa, e que, doravante, hão de se mostrar cada vez mais difíceis, com a incredulidade a fazer milhares de vítimas, a palavra de ordem espírita é estudar sempre e servir sempre mais.
Aprofundarmo-nos no conhecimento da Obra Kardeciana e nas da lavra mediúnica de Chico Xavier, que, sem dúvida, lhe são o natural complemento.
Permutarmos ideias uns com os outros e refletirmos, a sós, sobre os grandiosos postulados de nossa Doutrina libertadora.
Redobrarmos vigilância, mormente contra o assédio de nossas inclinações infelizes, que, emergindo dos porões do inconsciente, do passado nos assombram no presente.
voluntario1Estabelecermos firme compromisso com a consciência e não nos desapontarmos com os irmãos que não conseguem exemplificar, de forma saudável, a fé que devemos nos esforçar para vivenciar em nossas lutas cotidianas.
Compreendermos que a seara espírita, mormente no terreno mediúnico, se encontra invadida por ervas daninhas, que, alastrando-se assustadoramente, revivem, na atualidade, a Parábola do Joio, contada por Jesus Cristo.
O Espiritismo é religião em Espírito e Verdade, e não surgiu para ombrear com as demais religiões do mundo, disputando adeptos.
Ser espírita, sobretudo, é um estado de espírito, que cada qual deve alcançar por si mesmo.
Em vez de recuarmos, é chegado o momento de avançarmos no amor com que precisamos nos consagrar às tarefas mais humildes que estejam sob a nossa responsabilidade.
Não importa que sejamos dois ou três irmãos na Casa Espírita, situada na periferia de uma cidade do interior. Importa o nosso comprometimento com a Causa, na certeza de que estamos trabalhando na semeadura do porvir.
Chega de bajulações a companheiros, porque esse “oba oba”injustificável nos enfraquece espiritualmente, e nos ilude quanto às nossas reais necessidades de crescimento e testemunho individual.
banner doutrina espiritaEm Espiritismo, ninguém é maior, ou menor.
O Cristo é a nossa Liderança!
Aos ouvidos que nos escutem, que as nossas palavras soem com Verdade, mas, sobretudo, com Bondade.
No Movimento Espírita, o elitismo é força desagregadora.
As juvenis vozes espíritas que, por enquanto, permanecem em silêncio, necessitam fazerem-se ouvir, porque, de fato, novas brisas carecem de começar a soprar em nossas fileiras.
As suas antigas lideranças, uma a uma, estão vagando os seus postos, e estamos esperançosos de que os espíritos reencarnados para esta hora da Doutrina no mundo possam corresponder às expectativas do Alto.
Voltemos, urgentemente, a transmitir passes, a visitar doentes nos hospitais, a peregrinar aos bairros mais pobres, a fazer sopa para os famintos, a costurar para os desnudos, a explanar “O Evangelho” sob a luz mortiça dos lampiões…
Não se trata de saudosismo.
A questão é mais transcendente – trata-se da sobrevivência da Fé, individual e coletiva!…
INÁCIO FERREIRA
 

Uberaba – MG, 8 de fevereiro de 2015.

Enviado por: Emerson – Bauru – SP

2 Comentários

  • Esse “elitismo”,realmente esta presente em nossos centros infelizmente,claro, não genelarizando, eu mesmo já percebi isso alguma vezes, tipo, pessoas querendo participar das sessões mediúnicas, pelo simples fato de acharem que ao participar serão vistas como “superiores”, e também há os que participam de tais reuniões que se envaidecem de fato, oradores vistos como intocáveis, e por último outro fato que me chama a atenção, é as pessoas falarem por qualquer motivo em “ESPIRITUALIDADE MAIOR”, como se os mesmos estivessem realmente ligados ao plano espiritual sitado, era isso, e me desculpem qualquer extravagância da minha parte…

  • Os Espíritos de Luz, nos chama à atenção para a nossa responsabilidade na maior caridade que podemos fazer ao Espiritismo, conforme nos ensina Emmanuel, que é sua divulgação. Porém, devemos ter a cautela de não ferir a consciência daqueles que ainda não despertaram para a nova luz, para o Consolador prometido por Jesus. Sob pena de trazer mais trevas do que luz àquelas almas. Aprendemos com Kardec que “O Espiritismo não tem mistérios, nem teorias secretas; tudo nele deve ser dito claramente, a fim de que cada um possa julga-lo com conhecimento de causa; mas cada coisa deve vir a seu tempo, para vir com segurança.” (A Gênese). Assim, se ainda precisamos distribuidor sopa; Se ainda precisamos dizer que combater o mal é combater a si mesmo; Se ainda precisamos dizer que alma é sinônimo de Espírito. Façamos com esmero, pois o principal é a prática da caridade e do amor ao próximo.

Deixe seu comentário para Claudemir das Neves