25 jan
2012

Centro Espírita conectado

Wellington Balbo - arquivo VE

Intrigante questão assolou-me a mente quando estive na cidade de Macatuba SP para realização de palestra:
Será que Allan Kardec, o Codificador do Espiritismo, utilizaria o facebook para divulgar a Doutrina?
Não posso afirmar com certeza, afinal, ele não vive nos dias de hoje. Pelo menos ainda não o vimos vestindo uma outra roupa de carne a declamar as poesias dos imortais. Porém, acredito que o Codificador utilizaria as mídias sociais para divulgar o Espiritismo.
E interessante foi a experiência que vivi por esses dias e compartilho com você. Compareci ao Centro Espírita Francisco Xavier de Macatuba e pude constatar com os próprios olhos o que os colaboradores me disseram assim que lá cheguei. A Casa Espírita com todos os seus lugares tomados e, interessante: gente nova, pessoas que não conheciam o Espiritismo e foram até lá por conta das constantes divulgações que o referido centro espírita faz no facebook. Por incrível que pareça havia pessoas que só souberam haver centro espírita na cidade pela mídia social.
No retorno à Bauru, fiquei a refletir na importância de utilizarmos todos os canais de comunicação para levarmos adiante a mensagem da espiritualidade. Nada pode ser desprezado. Alguns dirão que nessas redes sociais prolifera-se muita banalidade. Mas, sejamos sinceros: a culpa não é da rede social, mas, sim, de quem a tiliza. Facebook e tantas outras mídias são apenas ferramentas neutras que obedecem ao comando humano. Logo, se o indivíduo não tem lá grandes interesses em nobres causas de sua lavra só sairão abobrinhas. Contudo, se há desejo de produzir algo de bom eis que as mídias sociais podem cumprir um notável e importante papel.
Surge, então, o momento de repensarmos o nosso conceito de Comunicação, porquanto vivemos numa época totalmente diferente da que vivia Kardec. O Codificador, por conta das limitações de seu tempo, tinha o contato com o público limitado. No entanto, nosso contato com o público é ilimitado. Estamos literalmente plugados uns aos outros, trocando impressões, experiências e idéias a todos os instantes.
Penso ser essencial como homens do século XXI fazermos a utilização dos recursos da tecnologia para espalhar as luzes da imortalidade por onde nossos @s e bytes trafegarem.
A propósito, Allan Kardec no tocante à divulgação espírita deixou-nos relevante mensagem em Obras Póstumas. Diz ele:
“Uma publicidade, numa larga escala, feita nos jornais mais divulgados, levaria ao mundo inteiro, e até aos lugares mais recuados, o conhecimento das idéias espíritas, faria nascer o desejo de aprofundá-los, e, multiplicando os adeptos, imporia silêncio aos detratores que logo deveriam ceder diante do ascendente da opinião”.
Compreendemos nas palavras de Kardec sua alma disposta a trabalhar junto com a publicidade e os meios de comunicação para dar ao Espiritismo cada vez mais espaço.
O Espiritismo deve ir onde o povo está. E se o povo está conectado, que se conecte também o centro espírita, esse fiel condutor das idéias doutrinárias.

Pensemos nisso!

[enviado por nosso amigo e leitor Wellington Balbo – Bauru – SP]

1 Comentário

  • conheci a doutrina espírita faz pouco tempo, é tenho aprendido muito com ela, desejo aprender mais é se possivel evoluir o maximo possivel.

Deixe seu comentário para jailma