28 jan
2016

Nosso comportamento diante da certeza da Reencarnação

Por: Martha T. Capelotto

Já tive oportunidade de mencionar em outro texto, um nome importantíssimo no campo da investigação científica sobre a reencarnação, o Dr. Ian Stevenson, médico e professor catedrático de Psiquiatria na Universidade de Virgínia, EE. UU.
Esse eminente médico objetivava investigar os relatos de crianças que afirmavam recordar-se de presumíveis vidas anteriores.
Como todo científico sério e que busca a verdade, resolveu investigar as inúmeras informações recebidas da Índia, Burma, Tailândia, Turquia, Líbano, Sri Lanka e outros países, inclusive Brasil, onde esteve em Fevereiro de 1972, em São Paulo, a fim de estudar alguns casos de reencarnação.
Quando resolve partir para a Índia, em 1961, seus colegas, ao se despedirem dele, não conseguiram disfarçar certo sorriso de incredulidade ou ironia. A reencarnação para eles, não passava de mera crendice, sem qualquer apoio em fatos positivos.

Foto, Internet.

Foto, Internet.

Ao chegar à Índia, procurou manter contato com vários sábios, na autenticidade máxima da palavra e, ao ser indagado por um desses “Gurus” acerca dos motivos que o levaram a interessar-se pela reencarnação, ele declarou que uma das razões seria “a possibilidade de melhoria do comportamento dos americanos, caso ficasse cientificamente demonstrada a realidade do renascimento após a morte dos indivíduos. Seria, além disso, uma evidência fortíssima da sobrevivência. Isto provavelmente contribuiria para a melhoria dos seus concidadãos, no concernente ao caráter.
A esta altura, Dr. Stevenson surpreendeu-se ao ver o sábio indiano esboçar um sorriso, mostrando também um ar de incredulidade e lhe disse: “Não se iluda Professor, aqui na Índia, quase todos creem na reencarnação, e nem por isso os indianos têm um comportamento melhor do que o dos americanos”.
Vamos analisar, em brevíssima síntese, essa ocorrência.
Constantemente estamos revendo nossas concepções acerca da nossa realidade e vivemos em contínuas mudanças. Como um exemplo, os homens acreditavam que a Terra era plana e que fosse o centro do Universo.
A visão do mundo e da nossa realidade subjacente, adquirida após a conquista do método científico, sofreu profundas modificações. A Terra deixou de ser o centro do Universo. Este, por sua vez, adquiriu proporções inimagináveis e o homem, que se acreditava ter sido o alvo final da criação de Deus, foi colocado pela Ciência em modesto ramo da árvore genealógica dos demais seres vivos.
Na parte espiritual, nenhuma das perspectivas, colocadas em uma inexorável justiça após a morte, conseguiram frear os maus instintos, a rapinagem e a crueldade dos homens, inclusive daqueles que pregaram as tais presumidas “verdades”.
Infelizmente, o comportamento humano depende de um maior número de fatores, e não apenas de uma sorte de crença, ou até mesmo de uma sólida convicção originada, por exemplo, pelo conhecimento científico positivo da reencarnação.
Como tantas outras coisas que já foram colocadas as pás de cal pela Ciência, com a reencarnação não será diferente, principalmente por um número muito expressivo de estudiosos que a investigam em todas as partes do mundo.

Foto, Internet.

Foto, Internet.

Assim, a melhora da criatura humana e o seu comportamento no bem, não se resume a acreditar ou não na reencarnação, pois a ciência a revelará ao mundo de forma inconteste, mas, de outros fatores coadjuvantes tais como a educação, a saúde, a habitação, a higiene, a facilidade de transportes e da comunicação, enfim, de todos os benefícios oriundos do progresso científico e tecnológico.
E, claro, somado a tudo isso, a busca pelos valores espirituais, não os de fachada, mas, os que são capazes de modificar a criatura para melhor.

3 Comentários

  • Deus é mesmo misericordioso….Nos oferece a reencarnação para , após nos arrependermos dos erros cometidos, voltarmos e repararmos os erros cometido…

  • EU VIVO NO MEIO EVANGELICO, E ACREDITO NA REENCARNAÇAO,MAS OS SADUCEUS DE HOJE,POIS, MUDARAM UM POUCO,POIS, ACREDITAM QUE JESUS VEIO E QUE DEUS VAI FAZER UMA GUERRA, ESTES TEM QUE TER O APOIO DA CIENCIA PARA PODER ACREDITAR NA REENCARNAÇAO.DISCORDO DO GURU,POIS A VIDA APOS A MORTE EXISTE,E A REENCARNAÇAO EXISTE,E TODOS AQUELES QUE PREGAM A BIBLIA E CHAMAM A REENCARNAÇAO DE UMA MENTIRA,ELES ESTAO CHAMANDO DEUS E JESUS DE MENTIROSOS.O FILME MINHA VIDA EM OUTRA VIDA DEVIA SER DISTRIBUIDO PELOS ESPIRITAS DE GRAÇA EM CADA LAR.POIS A CANDEIA DEVE FICAR NO ALTO,E A REENCARNAÇAO E O EIXO DE TODO ENSINAMENTO DE JESUS,SEM A REENCARNAÇAO,TUDO O QUE JESUS FALOU NAO TERIA SENTIDO.OS EVANGELICOS NAO ENTENDEM QUANDO JESUS DIZ:E MELHOR QUE ENTRES NA VIDA SEM UM BRAÇO,MAS EU ENTENDO,E SO IRMOS A JOAO:9:1,E TUDO FICA CLARO,POIS O ESPIRITO ATRAVES DO SEU LIVRE ARBITRIO E MERECIMENTOS PODE ESCOLHER QUE TIPO DE PROVA IRA PASSAR.A REENCARNAÇAO DEVE FAZER PARTE DO PRIMARIO DO ESPIRITO,DO GINASIO E DA FACULDADE DO ESPIRITO,POIS SO ASSIM ELE PODERA ENTENDER AS LEIS DE DEUS.E VERA QUE DEUS E AMOR,BONDADE E JUSTIÇA POR EXCELENCIA.O GURU DEVE RETORNAR E COMEÇAR NO PRIMARIO,MAIS EU NAO TENHO EVOLUIMETRO PARA DIZER EM QUE GRAU ELE ESTAR,MAS UMA COISA EU TENHO CERTEZA QUE SOBRE A CANDEIA QUE DEVE ESTAR NO ALTO ELE DEVE LER E RELER PARA MELHOR COMPREENDER ,MAS TAMBEM EU NAO SEI SE ELE OUVIU FALAR DE UM HOMEM CHAMADO JESUS.MUINTA PAZ.SIM A MAIORIA DOS EVANGELICOS NAO ACREDITAM QUE NOS TEMOS UM ESPIRITO.VOCES ESPIRITAS TEM MUINTO TRABALHO OK.

  • Em um trecho do Livro psicografado com o título “Pelas ruas de Calcutá” pelo espírito da grande Madre Tereza, onde diante da grande dificuldade de nós seres humanos encarnados neste mundo, conseguirmos dar um paço adiante na nossa evolução pessoal; ela resume assim;” pra quê termos tanta pressa em querermos nos tornarmos santos em poucos dias se “Deus nos deu toda a eternidade” !!. Com certeza da afirmação vindo de quem em vida mostrou tanta caridade isto me da um certo conforto na alma, porquê com certeza ainda estamos muito distante de obtermos um pouco de progresso moral em nossa atual existência terrena; esta frase me traz consolo diante das minhas faltas.abraço

Então, O que achou?