1 dez
2012

O Verdadeiro Espírito do Natal

Martha T. Capelotto

“Glória a Deus nas alturas, paz na Terra e boa-vontade para com os homens” (Lucas, 2:14)

Mais um ano praticamente transcorrido e eis que estamos novamente às voltas com os preparativos do Natal.
Preocupações de toda ordem começam a surgir, estabelecendo um antagonismo de situações. Compras, idealização de cardápios, roupas novas, para aqueles que têm recursos financeiros; frustrações, tristezas, para aqueles que vivem em dificuldades materiais. Timidamente serão lembrados os desvalidos, os órfãos, os velhos abandonados e os moradores de rua, como se pudéssemos aplacar, ainda que por um dia, todo o nosso sentimento de indiferença para com os nossos irmãos em humanidade.
Assim tem sido, sucessivamente, todos os natais para a grande maioria. Poderíamos dizer, sem medo de errar, que o verdadeiro espírito do Natal ainda não penetrou o âmago das criaturas. Independentemente das discussões frívolas a respeito de ser ou não o dia 25 de dezembro a data exata do nascimento de Jesus, o que vale considerar é o que Ele, na verdade, representa para nós.
Voltemos no tempo, examinemos as condições de Seu nascimento. Não foi num berço de ouro, cercado de serviçais, tampouco anunciado pelos poderosos da época. A escolha da humilde manjedoura, cercado de animais, despojado de qualquer pompa, foi o primeiro ensinamento de humildade Daquele que veio ao mundo para promover a grande renovação espiritual.
Glória a Deus no Universo Divino.
Paz na Terra.
Boa-vontade para com os homens.
Síntese perfeita de uma renovação de conduta. Destruição absoluta da justiça do “olho por olho”, “dente por dente”. Ante a luz nascente na estrebaria, uma força nova caiu sobre a Terra. Não mais a destruição, os castigos, as punições, as hostilidades, os anátemas, as condenações infames aos “pecadores”, mas, a partir de então, o Amor, como condição essencial para o trato de todas as questões da humanidade.
Desse modo, comemorar o Natal adequadamente, é refletir sobre todo o Evangelho de Jesus, reflexões estas que não podem ser fugazes, superficiais, farisaicas.
Basta de hipocrisia! Lembremo-nos do quanto o Mestre a combateu. Somos ainda velhas sepulturas caiadas por fora e podres por dentro.
O sentimento de fraternidade que deve reinar entre nós, ainda se apresenta utópico e distante. Fugimos de nossas responsabilidades espirituais, buscando mecanismos ilusórios para o nosso apaziguamento interior. Somos sectários, individualistas, julgadores contumazes. Ainda barganhamos com Deus a conquista do Seu reino de paz e de amor.
Natal!
Tempo de renovação do ciclo da vida!
Recomeçar deve ser a palavra de ordem. Sempre é tempo para mudanças…
Despojemos-nos de todo o preconceito, de toda atitude de desamor, de ódios, de mágoas, de rancores, de desavenças, de egoísmo e, certamente, festejaremos o Natal como se fosse a primeira vez.
Irmãos, recordemo-nos que o Mestre veio até nós para que nos amemos uns aos outros.
Natal! Boa Nova! Boa-Vontade!

12 Comentários

  • Linda Mensagem,nos Recordando do Verdadeiro Sentido do Natal ou do Nascimento de Jesus,Grande Mestre do Amor, da Humildade,da Simplicidade,que como ele mesmo disse,”Eu sou o Caminho”Ninguem pode Negar o Fato de que Jesus Existiu,nem que seus Ensinamentos sejam Belos e valiosos,Ainda que alguns deles,tenham sido Proferidos Antes,Ninguem os Expressou tão Divinamente…

    Fraternalmente,

  • A realidade de hoje nos leva a ter atitudes e pensamentos movidos pela inércia. Já é final do ano? Natal de novo? É tão rápido a quantidade de informações a serem processadas em nossas vidas que mal dá “tempo” para programar projetos, sonhos, somos atropelados pelo mercado de consumo: o que vestir, o que escutar, o que falar, o que assistir, o que ser para ter tudo isso e ser notado pelo mundo. Esta é uma época de renovação dos valores genuínos, que exige vontade, perseverança e fé em sermos melhores diante de nossas fraquezas. Não é fácil o caminho do bem, mas não é impossível porque a fé é a presença do próprio Deus vivo.

  • Natal, Feliz Natal, todos cantamos ao coro fraternal de todas as Igrejas!…Louvado seja Deus que te enviou a Terra. Mestre do coração bendito- sejas!…
    Verso do poema de Maria Dolores em 21/09/1985.
    E mediante o periodo de tantas informações,estamos cientes que muito se precisa fazer diante,dos fatos e acontecimentos,para o momento Presente,O Grande Mestre desce do Superior para o Inferior, com objetivo de proporcionar a todos,os mesmos direitos diante do calendário da Evolução,sua primeira lição é um copêmdio de Humildade e Harmonia, que em seguida nos proporciona, o Caminho a Verdade e a Vida,temos trezentos e sessenta e cinco dias para nos avaliarmos e renovarmos conforme nos ensina os quatro pilares do Evangelho,concatenando com a Sintese que acima da Verdade, não existe Religião,pois só pelo Amor estaremos libertos para novos campos e novas colheitas.
    Natal é realmente tempo de avaliação,para novos Tempos.
    Muita Paz em Cristo Jesus.
    Israel

  • A mensagem é de grande sabedoria!Seria muito bom que todos comemorassem, na simplicidade de JESUS, como nos exemplificou, amando, servindo e perdoando…JESUS pediu-nos que amassemos uns aos outros, este seria o nosso presente, ao aniversariante! Comemorando o Natal, que foi a chegada de JESUS aqui na terra, com sentimentos, e atitudes nobres. JESUS quer a nossa transformação! O aniversariante é que deve de receber presentes, e não nós. Como ELE não precisa de coisas materiais aqui da terra, que tudo que temos aqui o pertence, façamos então, no nosso ser, a a SUA morada! Presenteando a ELE, o nosso amor ao próximo, e colocando em nós, acima de tudo, amar a DEUS sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos…

  • ´Nossa irmã parece ser bem intencionada, mas está julgando e criticando. Os ensinamentos de Jesus que chamou a atenção para o argueiro e a trave no olho recomendam : não julgueis, a fim de que não sejais julgados, que aquele que estiver sem imperfeições morais/espirituais que atire a primeira pedra. Vivemos esta encarnação neste mundo de expiações e provas, onde o mal SUPERA o Bem. Alem de estarmos, uns mais do que outros, cheios de IMPERFEIÇÕES temos a INFLUÊNCIA muito forte dos DESENCARNADOS, que tem afinidade com as energias idênticas e muitas vezes são eles que influenciam nosso pensamento/consciência/mente e fazemos ESCOLHAS ERRADAS, e o mês de DEZEMBRO,o 13% e o NaTAL, são situações propícias para o consumismo desenfreado e quem já conseguiu evoluir um pouco mais, dê o exemplo, e use seu livre arbítrio, fazendo escolhas dignas dos ensinamentos do Mestre, aproveitando mais, esta encarnação, minimizando o numero de reencarnações necessárias, para estar apto a habitar o próximo mundo de REGENERAÇÂO. A partir daí, o crescimento da EVOLUÇÂO será bem mais fácil de se conseguir. Esta é a VERDADE e temos que estar CONSCIENTES disso, não DESANIMAR. Ser feliz dentro do que é possível ser, neste mundo.

  • Linda mensagem gostaria de saber se posso postar alguns dos artigos em meu blog. http://agradecendoaespiritualidade.blogspot.com.br/
    Fico grata e desejo muita paz e luz a todos.
    Com meu carinho.Vera

    • Saudações fraternas Vera!
      Agradecemos por ser nossa leitora e estar colaborando com seus comentários.
      Sim, você poderá selecionar o artigo, copiar e colar em seu blog. Mas sempre deverá sitar o autor e também o link de onde retirou o artigo.
      Saúde e paz sempre.
      Equipe Visão Espírita.

  • A mensagem é profundamente expressiva; um convite a reflexão. Dessa leitura me vem a inspiração: viver a todo tempo o sentimento do Natal, isso resultará em felicidades. Viver dia ou outro os sentimentos que esse dia proporciona, nos conduzirá a busca da renovação interior e nos proporcionará algum bem estar. Viver distante de quaisquer sentimentos natalinos,isto, sem dúvida alguma, nos levará a convivência da ação/reação e a duras penas ao entendimento de que “é dando que se recebe e perdoando que se é perdoado”.

  • Penso que a humanidade ainda não se concientizou do verdadeiro sentido do Natal, que é o AMOR sem fronteiras, sem raça religiões poder… quando nós amar o nosso irmão,e ver além das aparençias, então teremos um Natal de Amor e Paz…

    Muita paz a todos.

  • A bíblia não menciona a data que Jesus nasceu, nem mesmo a nosso literatura espiríta. Assim sendo, para mim esse dia é um dia como outro qualquer. Dia criado pela humanidade para favorecer as bebedeiras, comilanças e o comércio, entretanto, deixem as nossas crianças se divertirem com a fantasia do papai noel. Infelimente nem toda criança pode ser divertir devido a desigualdade entre nós, seres imperfeitos. Uns ganham presentes carissímos, outros ganham muito pouco por meio de doações e ainda têm crianças que não ganham nada.
    Um abraço fraterno a todos os ismãos.
    Hélio Carneiro

  • Seria maravilhoso se a humanidade toda entendesse o espírito do Natal – A fraternidade e o amor entre os homens. Mas como ainda, estamos buscando a nossa transformação intima, cremos em Deus que um dia conseguiremos verdadeiramente, não só no Natal, vivenciarmos a beleza do amor ao próximo.Uma leitura bastante reflexiva.Abraço fraterno

  • Sinto em mim o clima de Natal,que ao mesmo tempo contagia com a alegria , renovação e amor ao lembrar do nascimento de Jesus, vejo também do outro lado o que foi citado acima, muitos pobres jogados nas ruas, jovens sendo drogados por falta de família e deste aconchego que a família de Nazaré: Jesus , Maria e José possuia em seu mais íntimo do lar. O verdadeiro lar, onde não reinava roupas de seda, jóias preciosas, presentes brilhantes, mas o maior brilho de todos, o maior tesouro de todos, aquele que vale mais que o ouro , mais a prata que brilha “A Família”.
    Se todos dessem o devido valor e se preocupassem pelo menos com o seu lar , tudo seria diferente.Se em vez de trabalhos exaustivos para conseguir agradar seu consumismo: roupas, carros, jóias , invertessem para agradar seus filhos com o tempo certo, amor na medida certa e consciente, acho que diminuiria muitos probelams, porque uma sociedade justa, fiel e verdadeira , nasce dentro da pequena sociedade que é a família.

Deixe seu comentário para jobel de paula mendanha