9 nov
2011

Perguntas e respostas “Richard Simonetti” de Bauru – SP

Enviado por nosso amigo e leitor Jader Nilo

1 – O que dizer da manifestação de pretos velhos no Centro Espírita, com seu linguajar peculiar? Não devem ser estimulados a mudar a postura, instruindo-se?

Parece-me que a evolução não tem nada a ver com a expressão física ou linguística. Espíritos que se manifestam como pretos velhos podem ser muito evoluídos, tanto quanto branquelos podem ser atrasados.

2 –     O problema é quando Espíritos apresentam-se como orientadores. Fica complicado aceitar que um mentor não tenha aprendido a falar.

Kardec orienta que devemos considerar o conteúdo, não a forma. Respeitando a opção do Espírito, tudo o que nos compete avaliar é se sua mensagem guarda compatibilidade com os princípios espíritas.

3 –     Não devemos, portanto, opor resistência à manifestação de pretos velhos, índios, caboclos?…

Não vejo motivo para cultivar preconceitos, mesmo porque, não raro, Espíritos dessa condição, menos esclarecidos e ainda vinculados às tradições da raça, manifestam-se para serem ajudados, não para receberem lições de português.

4 –     E se estivermos diante de um condicionamento mediúnico, médiuns falando como pretos velhos por imitação?

É um problema que compete ao dirigente resolver, avaliando se está diante de manifestação autêntica ou de mero condicionamento a partir da influência de outros médiuns. Não costuma acontecer com médiuns que se preparam adequadamente em cursos específicos sobre mediunidade.

5 –     Diante de uma manifestação autêntica, se o preto velho é um Espírito evoluído, não será razoável que se manifeste com linguagem escorreita, sem maneirismos?

Penso que não devemos impor condições ao manifestante. Os Espíritos desencarnados, quando evoluídos, podem adotar a forma e o linguajar que lhes aprouver. É uma opção e um direito.

6 –     Por que o fazem?

Pretos velhos revivem, nas manifestações, o tempo em que estiveram em regime de escravidão, que lhes foi muito útil, ajudando-os a superar o orgulho que marca o comportamento humano. É uma homenagem que prestam à raça negra e um exercício de humildade.

7 –     Quanto à morfologia perispiritual, tudo bem. Quanto à palavra, não seria interessante usar uma linguagem atual, não africanizada?

Pode acontecer, mas aí vai depender do próprio grupo e de uma adequação dos médiuns. O Centro Espírita Amor e Caridade, em Bauru, foi orientado desde sua fundação, em 1919, por uma corrente africana. Seus representantes, em dado momento, observando a evolução do grupo, na década de 40, disseram: Pretalhada vai vestir casaca. Anunciavam por esta metáfora que a partir daquele momento eliminariam as expressões africanizadas, o que de fato ocorreu.

8 –     Devemos, então, admitir que esses Espíritos façam uma adequação do linguajar, de conformidade com as tendências ou necessidades do grupo?

Exatamente. Um confrade, médium vidente, visitou certa feita um grande terreiro de Umbanda, em Vitória, Espírito Santo. Viu algo que o perturbou: o Espírito Frederico Figner, que foi dedicado diretor da Federação Espírita Brasileira, manifestar-se como um preto velho. Julgou estar tendo uma alucinação e logo esqueceu. Algum tempo depois, em visita a Uberaba, ouviu alguém perguntar a Chico Xavier por onde andaria Frederico Figner. E o médium: Anda dando assistência a um terreiro de umbanda em Vitória, no Espírito Santo.

4 Comentários

  • amei,a simplicidade da doutrina e isso! sarava os pretos velhos…louvado seja nosso senhor Jesus Cristo!!! Assim seja…ABRS FRATERNO

  • Taubaté,adorei as respostas de Richard Simonetti sobre os pretos velhos,principalmente a resposta do item 6,mas eu gostaria de acrecentar aqui,as palavras de um espirito que se manifestou,num dos trabalhos mediunicos doutrinarios,este espirito resgatado pelos irmãos espirituais de nossa casa [Fé amor e caridade] deu a seguinte declaração;”É deste lado que a surpresa nos espera,quanta decepção…,quando encarnados achamos ser o conhecimento a chave de tudo e nada mais precisamos fazer para nos salvar,mera ilusão meus amigos,as pessoas que eu achava estar abaixo de mim,estavam acima,e eu abaixo,muito abaixo…de todos. E ao ser resgatados por esses irmãos,após muito sofrimentos e ranger de dentes,e ser recuperado no hospital espiritual,passei pela escola,e aprendi aqui na escola espiritual,que todos os irmãos intelectuais e presos ao fascinio das letras e sem as boas obras comoeu fui,são serios candidatos a si manifestarem como pretos velhos nos trabalhos mediunicos,é meus irmãos…é a perfeita justiça de Deus agindo em nós,é o orgulho contrastando com a realidade,é o exercicio da simplicidade e humildade de um preto velho resgatando-nos do orgulho e da vaidade”, Que este dia de hoje 11-11-11,que muitos acreditam ser um dia especial,um inicio de mudança para a Nova Era,a era da tão esperada Fraternidade,não seja apenas uma coincidencia,mas que seja uma realidade que depende de todos nós. Que Deus nos abençõe e nos de muita paz.

  • Achei muito esclarecedor , para muitos que se dizem espíritas , mas não aceitam os pretos velhos, são preconceituosos e de certa forma ignorantes, pois quem tem conhecimento sabe do conhecimento que um preto velho tem tanto espirítual como com ervas, o conhecimento é muito grande destes irmãos ainda tão descriminado por muitos, penso que já está na hora dos que se dizem espirítas Amar mais e julgar menos…
    Eu tenho um respeito muito grande por estes irmãos “pretos velhos”.
    Muita Paz a todos.

  • boa noite meus amigos- vim buscar dourina espirita não foi pelo amor, mas pela dor–de tanto sofrimento devido minha mediunidade ostenciva que ate ai – não entendia nada, do que estava acontecendo-tia muitos espíritos me intuído ao suicídio, então procurei uma igreja evangélica e ai foi pioro porque os espíritos, me pegava dentro da igreja -ai o pastor dizia que eu estava com o demônio–foi quando fui para umbanda ate cair no candonble- ai era mãe de santo dizia que tinha que – raspar e dar comida para o santo- e meus irmão ai que e um sofrimento de um médio-que não tem conhecimento algum mas na umbanda eu trabalhava com preto velho e outras entidades- quando fui para o buscar a doutrina espirita codificada por alam kardec
    pincei que espíritos qua se manifestava n umbanda não iriam vir na messa mediúnica- eu me enganei vinherão todos inclusive o preto velho –ojé tenho cer tesa, que quem me carrego todos esses anos – foi o preto velho sesse irmão que nunca me desamparo- sempre este comigo nas minhas angustia – e eli vem com seu palavreado simples mas e um esprito muito e voluido- mas como eli sabe de minha vaidade e de outros ai sé manifesta na simplicidade — AGORA TENHAM CER TESA- E UM ESPIRITO DE UM AMOR QUE NÃO TEM IGUAL – OJÁ E ELI QUE ME ACILIA NA MESA MEDIÂNICA- NO RESGATE DE IRMÃOS QUE NESITA DE AMPARO –E QUE ELI SABE FASER MUITO BEM

Deixe seu comentário para delmiro calefi