9 jan
2011

Isto é o Espiritismo

Ao iniciarmos um Ano Novo, iniciaremos também uma série de novas mensagens, baseadas no livro de André Luiz “Conduta Espírita”, da psicografia do médium Waldo Vieira, ex-colaborador de Chico Xavier.
No prefácio do livro, André Luiz esclarece: “Não temos um compêndio à guisa de código para boas maneiras, tendo em vista a etiqueta e a cerimônia dos protocolos sociais.
Reunimos algumas páginas com indicações cristãs para que venhamos a burilar as nossas atitudes no campo em que o Senhor nos situou os corações.
Da conduta dos indivíduos depende o destino das organizações.”
Começamos com a “Conduta da Mulher”;
“E, respondendo, disse-lhe Jesus:- Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.” (Lucas, 10:41 e 42).
Da mulher

Compenetrar-se do apostolado de guardiã do instituto da família e da sua elevada tarefa na condução das almas trazidas ao renascimento físico.
Todo compromisso no bem é de suma importância no mundo espiritual.
Afastar-se de aparências e fantasias, consagrando-se às conquistas morais que falam de perto à vida imperecível, sem prender-se ao convencionalismo absorvente. O retorno à condição de desencarnado significa retorno à consciência profunda. Afinar-se com os ensinamentos cristãos que lhe situam a alma nos serviços da maternidade e da educação, nos deveres da assistência e nas bênçãos da mediunidade santificante.
Quem foge à oportunidade de ser útil engana a si mesmo.
Sentir e compreender as obrigações relacionadas com as uniões matrimoniais do ponto de vista da vida multimilenária do Espírito, reconhecendo a necessidade das provações regenerativas que assinalam a maioria dos consórcios terrestres.
O sacrifício representa o preço da alegria real.
Opor-se a qualquer artificialismo que vise transformar o casamento numa simples ligação sexual, sem as belezas da maternidade.
Junto dos filhos apagam-se ódios, sublima-se o amor e harmonizam-se as almas para a eternidade.
Reconhecer grave delito no aborto que arroja o coração feminino à vala do infortúnio.
Sexo desvirtuado, caminho de expiação.
Preservar os valores íntimos, sopesando as próprias deliberações com prudência e realismo, em seus deveres de irmã, filha, companheira e mãe.
O trabalho da mulher é sempre a missão do amor, estendendo-se ao infinito.

Notícias

O tema das palestras doutrinárias programadas pela USE-Barretos para o mês de janeiro é: “Somos todos médiuns?”. No dia 10 (20h) falará Luis Nelson P. Castilho, na Soc. Esp. “Amor, Fé e Caridade”; no dia 12 (20h) falarão: no Centro Espírita “Nelson F. de Araújo” (Colina), José Ronaldo de Castro (Cajobi) e no Centro Esp. “João Batista” (Jaborandi), Sílvio Roberto Bampa.

1 Comentário

  • ….CADA UM COM SUA CONCIÊNCIA NORTEANDO SEUS PASSOS NO DEVER CONSIGO MESMO E DEUS.
    QUEM SERÁ NOSSO JUIZ SENÃO NOSSA PRÓPRIA CONCIÊNCIA???

Então, O que achou?