30 mar
2010

Sir Arthur Conan Doyle

Escritor conhecido mundialmente, mas que poucos sabem ter sido ele um fervoroso espírita, Sir Arthur Conan Doyle foi o criador de um dos mais famosos personagens policiais de todos os tempos, o detetive Sherlock Holmes. Nasceu em Edinburgo na Escócia em 1859, numa família extremamente católica.

Durante a juventude, interessado em tornar-se médico, começou a ler Darwin e outros cientistas. Somando-se essas leituras ao desencanto com a religião, ele acabou tornando-se agnóstico.

Aos 28 anos, no entanto, ele acabou interessando-se por experiências de Transmissão

de Pensamento. Algum tempo depois, ele chegou a afirmar que conseguiria transmitir seus pensamentos sem o uso de palavras.

Após convencer-se da eficiência da transmissão de pensamentos entre vivos, ele então passou a se interessar por transmissões vindas do além. Estávamos no final do séc.19, e fenômenos mediúnicos eclodiam em reuniões pela Europa. A obra basilar do Espiritismo, “O Livro dos Espíritos” havia sido publicada desde 1857. As mesas girantes eram eventos mto conhecidos na época, e Doyle, obviamente, passou a freqüentar tais reuniões.

Com o tempo, Doyle passou a desenvolver crenças espiritualistas com grande convicção, e inclusive escreveu uma série de livros sobre o assunto, como A Nova Revelação, a Mensagem Vital, A Historia do Espiritismo, O Caso das Fotografias de Espíritos (este inclusive, relatando experiências q o próprio Doyle se envolveu, fotografando e revelando imagens de desencarnados), entre outros.

Após 20 anos de convívio com a doutrina, ele veio a publico para declara-se convicto da vida pos-morte. Mesmo sabendo q esta atitude poderia trazer prejuízo para sua carreira de escritor, ele pouco se importou. Muitos estranharam que o criador do famoso detetive Sherlock Holmes, um personagem tão meticuloso e racional, e sendo ele próprio extremamente racional, estivesse se deixando levar por crenças místicas.

Estoura a Primeira Guerra Mundial. Nesta época, Doyle perde seu filho mais novo de pneumonia e sua fé na vida pós-morte torna-se para ele algo essencial. Cerca de 1 ano após, ele participava de uma sessão espírita qdo foi surpreendido por uma comunicação do filho. Pouco tempo depois, Doyle viu com os próprios olhos sua mãe e seu sobrinho desencarnados, segundo palavras dele “tão reais como sempre os via em vida”.

Doyle viajou dando palestras sobre sua fé e provavelmente atraiu publico com seu nome famoso. Mostrava slides com a imagens de espíritos fotografados por ele.
Disse ele 1 vez que acreditar na vida pós-morte e na comunicação com pessoas desencarnadas era absolutamente natural e até mesmo confortador.
Fonte de pesquisa www.folhaespirita.com.br

4 Comentários

  • Muito interessante,eu não sabia destes detalhes da vida de Sir Artur Conan Doyle,pois agora fico contente de saber que ele tambem ajudou a divulgar a nossa querida doutrina. Muita paz a todos.

  • Eu também sou Espírita convicto e em absoluto, continuo um apaixonado pelos ideais de Francisco de Assis, considerando-me seu discípulo e vestido o simbólico hábito franciscano, mas independente(ex-conventual), também e da forma que posso testemunhar da Doutrina que abraço com toda a alma e coração, por ser a Verdade que há muitos desejava alcançar, não sabendo como…até que, por inspiração visitei uma Casa Espírita, não a largando mais…. Assim declaro-me: Consagrado a Jesus por gratidão, Dedicado a Francisco de Assis por inspiração e à Doutrina Espirita por convicção. Sou um frade franciscano-Espírita )))) . Um abraço.

  • A bondade de Deus em relação a nós Humanos é incontestável,ele nos envia de tempos em tempos Espíritos com maior capacidade Moral e Espiritual, para nos ajudar em nossas caminhadas, nos ajudando de forma Incontestável na divulgação de nossa Doutrina Querida…Parabens.

  • É maravilhoso quando somos merecedores de conhecer, estudar e passar a trabalhar no bem, através da Doutrina Espírita. Ela é a mola mestra pára nossa transformação íntima. Mais uma leitura esclarecedora pois não sabia ter sido Sir Artur Doyle um espírita tão fervoroso.Abraço fraterno.

Então, O que achou?