8 mar
2011

CURSO SUPERIOR DE ESPIRITISMO???? PARA QUÊ????

Permitam-me expressar minha opinião, embora possam não concordar.
Não é necessário um curso superior de Espiritismo, nem pósgraduação stricto sensu
, pois pelo que observamos já temos PhDeus em número suficiente no movimento espírita.
Formiga, LCD

Teologia Espírita desvirtua finalidades do espiritismo

Afinal, para quê criar Teólogos Espíritas? Será preciso, ainda, reconceituar o Espiritismo no Brasil? Perigo do profissionalismo e mercantilização do Espiritismo

Gerson Simões Monteiro
Vice-Presidente da FUNTARSO
Operadora da Rádio Rio de Janeiro
E-mail: gerson@radioriodejaneiro.am.br
Tomamos conhecimento que começa a funcionar, no ano que vem, o primeiro curso superior de Teologia Espírita do Brasil. A partir do ano que vem, os adeptos da doutrina poderão estudá-la com direito a diploma, beca e tudo o mais que uma graduação universitária dá direito. Foi o que decidiu o Ministério da Educação ao autorizar, em setembro, o funcionamento do primeiro curso de bacharelado em Teologia Espírita do Brasil, que será ministrado na Faculdade Dr. Leocádio José Correia, em Curitiba (PR).
As inscrições para o vestibular estarão abertas até 13 de dezembro
e os candidatos que disputarão as 100 vagas oferecidas terão de passar,
também, por uma entrevista com especialistas.

POSIÇÃO DA USEERJ (ATUAL CEERJ) EM 2002

Sobre essa questão, desde 17 de dezembro de 2002, a USEERJ, hoje CEERJ, enviou uma correspondência ao Movimento Espírita, deixando bem clara a posição da sua diretoria contra o Ensino Teológico Espírita no Brasil.
No primeiro parágrafo da referida carta, destacamos a seguinte expressão de Emmanuel, coligida do livro Coletânea do Além – Dicionário da Alma, psicografado pelo médium Francisco Cândido Xavier, “A Teologia, na maior parte das vezes, é o museu do Evangelho”.
Para fundamentar a nossa posição, contrária à criação do referido Curso, destacamos, também, as seguintes considerações do Benfeitor Espiritual Emmanuel na página “Espiritismo e Nós”, publicada no Livro da Esperança:

Todas as religiões cultivam rigoroso sentido de Seita, mantendo a segregação dos profitentes. A Doutrina Espírita, revivendo o Cristianismo puro, é a religião da solidariedade.
Contudo, se nós, os espíritas encarnados e desencarnados, abraçarmos aventuras e distorções, em torno do ensino espírita, ainda mesmo quando inocentes e piedosas na conta da fraternidade, levantaremos novas inquisições do fanatismo e da violência contra nós mesmos (…).
Todas as religiões garantem retiros e internatos, organizações e hierarquias para a formação de orientadores condicionados, que lhes exponham as instruções, segundo o controle que lhes parece conveniente.
A Doutrina Espírita, revivendo o Cristianismo puro, é a religião do esclarecimento livre (…).
Todas as religiões, de um modo ou de outro, alimentam representantes e ministérios remunerados. A Doutrina Espírita, revivendo o Cristianismo puro, é a religião da assistência gratuita.
No entanto, se nós, os espíritas encarnados e desencarnados, fugirmos de agir, viver e aprender à custa do esforço próprio, incentivando tarefeiros pagos e cooperações financiadas cairemos, sem perceber, nas sombras do profissionalismo religioso. (grifo nosso)

A PROPOSTA DO CURSO AO MEC

A Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas – SBEE, originalmente denominada Agrupamento Espírita Afonso Penna, com sede na Rua 29 de Junho nº 504, em Curitiba, PR, é uma instituição filantrópica e beneficente criada em 1953, reconhecida como de utilidade pública federal, estadual e municipal, tendo como proposta a criação de uma massa crítica na interpretação e divulgação do Espiritismo sob uma nova visão à luz da Ciência, Filosofia e Religião, a teor das informações inseridas no seu site virtual.
Sob a ótica dessa proposta, a entidade pleiteou e conseguiu junto ao Ministério da Educação a autorização para implementar o primeiro curso de bacharelado em Teologia Espírita no Brasil, a ser ministrado por estabelecimento educacional então criado, qual seja a Faculdade Dr. Leocádio José Correia, manutendida pelo Lar Escola Dr. Leocádio José Correia, braço assistencial da Sociedade em questão.
Debalde a autorização ministerial para o funcionamento do curso em comento datar de setembro de 2002, já em agosto do mesmo ano, portanto um mês antes, a Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas editou Proposta da Portaria nº 2501 (30.08.2002) instrumentalizando as ações e diretrizes cursivas, com curriculum pleno, especialização do corpo docente abrangendo ética, sociologia, antropologia, transdisciplinaridade, filosofia, estudos das religiões etc., número de vagas, duração, inscrições e outras instruções, além da compulsória grade com as disciplinas por período e carga horária.

ANÁLISE DA PROPOSTA

A Proposta básica do Curso de Bacharelado em Teologia Espírita, como apresentada pela SBEE, é a de possibilitar o estudo sistemático e acadêmico, da Doutrina dos Espíritos, no sentido de reconceituar o Espiritismo no Brasil.
Ora, reconceituar no sentido etimológico da palavra, quer significar conceituar novamente, isto é, formar novo conceito, nova classificação, nova consideração etc. Assim, a proposta da SBEE, na estrita observância do vocábulo, visa dar novo conceito ao Espiritismo no Brasil, o que será possível – ainda segundo o entendimento da entidade – graças à experiência de coordenadores de grupos que vêm estudando os fundamentos da Doutrina dos Espíritos há quase 50 anos.
A empreitada proposta pelo Curso ora autorizado é temerária e imprudente, na medida em que a Doutrina Espírita, por Verdade Eterna advinda da Nova Revelação, não admite novos conceitos senão aqueles que nos chegaram através da Espiritualidade Superior, ou interpretações outras que não aquelas fundamentadas pelo Codificador, Allan Kardec, no pentateuco espírita, coletânea fruto do intercâmbio com o Mundo Maior.
Falar-se assim em reconceituar o Espiritismo é, na pior das hipóteses, considerar que tudo aquilo que aprendemos, sentimos e aplicamos no tríplice aspecto da Revelação – ciência, filosofia e religião – se encontra ultrapassado e desatualizado merecendo, pois, ser repensado, reescrito e reestudado.
Esquece-se, porém, a SBEE que os ensinamentos doutrinários, base do Espiritismo, não se encontram assentados sobre dogmas ou pontos irreversíveis que fazem hoje grande número de incrédulos; ao contrário, a verdade espírita solidificou-se e perpetuou-se sobre a fé raciocinada, que se apóia sobre fatos e lógica, não deixando atrás de si qualquer obscuridade (ESE, Cap. XIX, item 7).
Assim, sob os aspectos de conveniência e oportunidade, não vê a União das Sociedades Espíritas do Estado do Rio de Janeiro – USEERJ qualquer alcance prático, pedagógico ou esclarecedor quanto à temática cursiva ora proposta. Ao contrário, esse tipo de tentativa pedagógica, que se lastreia basicamente na idéia de reconceituar o Espiritismo, pode levar a uma indesejável desvirtuação dos verdadeiros objetivos da Doutrina Espírita que, como Cristianismo Redivivo (Cristianismo do Cristo), deve se pautar pela mais absoluta pureza da verdade evangélica, ou seja, a prática doutrinária não pode e nem deve romper a simplicidade recomendada por Jesus de “dar de graça o que de graça recebemos”.
Muito embora o aspecto religioso da Doutrina Espírita tenha, de fato, um conteúdo teológico, o seu ensino no tríplice aspecto – ciência, filosofia e religião -, não deve ser objeto de profissionalização, pois que o estudo acadêmico implica necessariamente em remuneração pecuniária, o que levaria o Espiritismo a incorrer no mesmo erro cometido pelas religiões formalistas. Em tal caso, o Espiritismo, em seu aspecto religioso, passaria a formar com essas religiões mais uma escola teológica a nível acadêmico, o que resultaria no estabelecimento de hierarquias no campo doutrinário, a exemplo do que aconteceu com tais religiões, as quais, por isso, perderam conteúdo ao se afastarem da verdade contida no Cristianismo, conforme nos ensina o Espírito da Verdade (ESE, Cap. VI, item 5):

“No Cristianismo encontram-se todas as verdades; são de origem humana os erros que nele se enraizaram”.

Destarte, devemos ter em mente, sempre, a lição de Emmanuel que, pela pena do Irmão-Amor Francisco Cândido Xavier, nos ensinou que:

“Todas as religiões são credoras de profundo respeito e de imensa gratidão pelos serviços que prestam à Humanidade.
Nós, porém, os espiritas encarnados e desencarnados, não podemos esquecer que somos chamados a reviver o Cristianismo puro, a fim de que as leis do Bem Eterno funcionem na responsabilidade de cada consciência”.

Entendemos que a re-conceituação do Espiritismo, como proposta pela Faculdade Dr. Leocádio José Correia, é quimera semântica que objetiva simplesmente arregimentar curiosos a um curso regular em que se apreciará os aspectos teológicos da religião espírita.
Como o apóstolo Paulo asseverou em sua primeira carta aos Tessalonicences: examinai tudo e retende o bem, é necessário que cada um de nós, individualmente, analise, investigue e critique a presente Proposta para verificar se essa se enquadra às necessidades de aperfeiçoamento do Espiritismo e dos seus seguidores, porquanto, o verdadeiro Espírita, conhecido através de características pessoais, abstém-se formalmente do profissionalismo religioso.

CONSIDERAÇÕES FINAIS CONTRÁRIAS A CRIAÇÃO DO CURSO

O Espiritismo, doutrina consoladora, lança luz sobre uma multidão de pontos obscuros; entretanto, não a lança inconsideradamente. Os Espíritos procedem nas suas instruções com uma admirável prudência; não foi senão sucessiva e gradualmente que abordaram as diversas partes conhecidas da doutrina e é assim que as outras partes serão reveladas à medida que o momento tenha chegado para fazê-las sair das sombras (…) Se, pois, os Espíritos não dizem ainda tudo ostensivamente, não é porque haja na doutrina mistérios reservados a privilegiados, nem que coloquem a candeia sob o alqueire, mas porque cada coisa deve vir no seu tempo oportuno (ESE, Cap. XXIV, item 7)
Assim qualquer reconceituação do Espiritismo, na acepção ampla do vocábulo, deverá chegar-nos no momento e tempo certos, pela via da Espiritualidade Superior. Só ela, mercê de Deus, é fonte apta a tal instrução, se assim for julgado necessário.

Fonte: editorial@febrasil.org.br

10 Comentários

  • Um texto discute ensino e pesquisa na Universidade e possui enfoque espírita. Seu título “UNIVERSIDADE DA ALMA. CIDADE UNIVERSITÁRIA DO ESPÍRITO. Nele podemos ler “O Brasil possui várias universidades. Algumas delas, na realidade, não passam de escolas massificadas de terceiro grau, onde professores dissociam ensino-pesquisa. A produção do conhecimento é cantada, em prosa e verso, mas na prática não se encontra quase nada.”
    Creio que outro artigo, em revista técnica, pode dar uma idéia da realidade para os que ainda não são professores de graduação e pósgraduação. Está num caderno de pesquisas e foi elaborado por pesquisadores de Centros Setoriais diferentes.
    http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/cp/arquivos/871.pdf

    http://www.espirito.org.br/portal/artigos/geae/universidade-da-alma.html

  • DAI DE GRAÇA O QUE DE GRAÇA RECEBESTES…então daqui há uns anos deverão ter pós graduação e doutorado para a prática do amor ao próximo??? Seria muito conveniente se nossos queridos irmãos pudessem participar e frequentar mais os Grupos Espíritas a que pertençam descobrindo aí os caminhos de se tornarem doutores do aprendizado do amor… Vai ser lamentável “ignorar” ou desprezar alguns palestrantes por falta do diploma universitário assim como vai ser muito “fácil” a abertura de novas “tendas” de consultas…E será que precisamos ainda disto? Onde pois o mais puro e sincero ensinamentos do Mestre sobre a HUmildade ????

  • A verdade é que o espiritismo sempre será uma filosofia de livres pensadores, havendo espaço portanto para a DIVERSIDADE DAS INSTITUIÇÕES ESPÍRITA e só mesmo o fanatismo de o autoritarismo de alguns para achar que pode reprimir o nascimento de instituição importante como um curso universitário sobre o espiritismo, feitos por pessoas que trabalham integralvente para o espiritismo, sim, e portanto tiram seus sustento disto, como sonhava Kardec e como muitos desinformados acham absurdo.
    Veja a opinião de Kardec em Obras Póstumas sobre como deve ser desenvolvido o trabalho no movimento espírita:
    Itens,
    CAMINHOS E MEIOS
    …Para a regularidade do trabalho e da expedição dos negócios, È necessário ter homens com a assiduidade dos quais se possa contar, e cujas funções não sejam simples atos de complacência. Quanto mais tivessem independência pelos seus recursos pessoais, menos se sujeitariam a ocupações assíduas; se não o têm, não podem dar o seu tempo.É preciso, pois, que sejam remunerados, assim como o pessoal administrativo; com isso, a Doutrina ganhará em força, em estabilidade, em pontualidade, ao mesmo tempo que esse será um meio de prestar serviço às pessoas que poderiam dele ter necessidade…
    PUBLICIDADE
    …Um redator remunerado para ela seria requisitado…
    VIAGENS
    Se os recursos o permitissem, um fundo seria instituído para remunerar um certo número de viajantes missionários, esclarecidos e de talento, que estariam encarregados de difundir a Doutrina.
    Dois ou trÍs meses do ano seriam consagrados a fazer viagens para visitar os diferentes centros e lhes imprimir uma boa direÁ„o. Se os recursos o permitissem, um fundo seria instituÌdo para remunerar um certo n˙mero de viajantes mission•rios, esclarecidos e de talento, que estariam encarregados de difundir a Doutrina. Uma organizaÁ„o completa e a assistÍncia de ajudantes remunerados, com os quais eu poderia contar, me isentando de uma multid„o de ocupaÁıes e de preocupaÁıes materiais, me deixariam o lazer necess•rio para ativar os trabalhos que me restam a fazer, e aos quais o estado atual das coisas n„o me permite entregar-me, t„o assiduamente quanto o seria preciso, o tempo material me faltando, e as forÁas fÌsicas para isso n„o podendo bastar. Se jamais me tivesse reservado cumprir esse projeto, na execuÁ„o do qual seria necess•rio levar a mesma prudÍncia que para o passado, È indubit•vel que alguns anos bastariam para fazer a Doutrina avanÁar de alguns sÈculos.
    ………………
    Quem não gostou, que se queixe com o Codificador…

  • Honra-me sobremaneira dirigir a V. Sa. para nesta oportunidade cumprimentá-lo na Paz do Senhor Jesus, e mui respeitosamente encaminhar a Vossa Senhoria a minha mensagem e dizer que sou “Doutorado em Ciências Sociais da Religião Fundamentado nos conhecimentos Espírita” para conhecimento do nosso http://visaoespiritabr.com.br/ para que, nos termos da legislação vigente no campo das ciências educacionais à luz do espiritismo.
    Lendo o Livro Transição Planetária, observa-se que: As soberanas Leis sempre se encarregam de reequilibrar a ordem onde se hajam manifestado a agressividade e o crime, o despautério e a crueza dos sentimentos. Ninguém, que agride a vida, prosseguirá em liberdade, porque ficará imantado ao erro, até que reconquiste a paz resultante do dever nobremente exercido e da consciência harmonizada.
    Diz Toffler: Quem quiser viver no passado que o faça, mas fique sabendo que isso significa pegar uma onda que corre na direção contrária e certamente será engolida.
    Os paradigmas mudaram mais rápido que a capacidade do homem de assimilar a mudança e mais rápido que a economia de encontrar novos postos de trabalho, isso sem falar das novas relações de trabalho. Estamos rodeados de estatísticas indicando o número de desempregados no mundo. Isso é fato. O que muda, é o ângulo pelo qual devemos enxergar essas mudanças. Toda a revolução produz insegurança pessoal e profissional e encontra aqueles que dizem que “nunca” vão entrar na “nova onda”.
    Concluindo, trabalho mais no mundo espiritual do que no mundo físico, e com a espiritualidade Divina; mirei no exemplo de André Luz, todavia há uma necessidade maior de provar positivamente a esta humanidade excluída, doente, e desesperada, em busca da felicidade e quem pode mostrar o caminho que possam chegar à felicidade e poder viver com amor e servir com dedicação e ternura como Cristo nos ensinou?
    Sou professor Secular e tenho o domínio do que é de César e do que é de Deus, portando está faltando em nós é o discernimento, compaixão e reflexão; Nada se cria, nada se perde, tudo se transforma, e tudo do que fazemos vem do mundo espiritual, seja do lado do Bem ou do Mal, somos os responsáveis pelo resultado dos nossos trabalhos no caminho da Humanidade.

    Th Dr José Gualberto Muniz – CSR

  • Bom dia! É bem notório que as opiniões se dividem em relação a um tema novo. Quanto a implantação de cursos de graduações de teogia Espírita, como foi denominado, não posiciono-me contra. Até porque muito será cobrado daqueles que se revestem de exímios estudiosos e trabalhadores no bojo da Doutrina Espírita. Esse será o termômetro avaliador das competências de cada um de nós imbuídos na causa de amor e caridade. A Doutrina Espírita tem uma característica própria muito forte: ela conscientiza cada indivíduo do papel a cumprir, da mesma forma, das consequências a serem assumidas em casos de negligência. Então, cabe a cada um o discernimento próprio. Ademais, as previsões pessimistas que se avolumam em torno do tema, poderão ou não acontecer, mas, não podemos esquecer, que um tentame dessa envergadura com certeza tem anuência do mundo espiritual. De qualquer forma a proposta é boa, e estamos em constante evolução moral e intelectual, e o dinamismo e as feições das instituições do mundo espiritual tendem a ser reportadas para o plano físico. As falhas que porventura ocorrerem já farão parte do processo, da mesma forma que as vemos acontecer nas próprias Casas Espíritas. Tenham um dia de paz e luz!

    Abraço fraterno.

  • Quero aqui expor o meu comentário e peço desculpas antecipadamente a quem se sentir atingidos e ofendidos em seus brios. Não possuo Doutorado em ciência da religião, mas possuo mestrado em teologia. Fiz este curso para melhor entender as religiões e procurar compreender a suas essências. Nele aprendi que todas as formas de credos religiosos dão-se de acordo com a cultura e costumes de cada povo, de modo que cada uma delas se jugam a certa, a única detentora da verdade absoluta, mas que divergem em seus textos escriturais, em conceitos, ensinamentos, dogmas e até mesmo na concepção de Fé. Nos dias de hoje, essas religiões vivem em disputas serradas na busca de arrebanhar cada vez mais fiéis sobe a alegação de encaminhá-los ao senhor, mas que na verdade, é só para o engrandecimento de vossas igrejas. A religião em se, tirando a parte da religiosidade, pois que são duas condições distintas, a primeira apenas trata-se de um sistema como tantos outros quaisquer, com normas de condutas “comportamentos”, Leis e Códigos Canônicos, Dogmas. E a segunda trata-se de uma condição intrínseca, pertencente a todas as pessoas, pois que é aquela força que nos faz acreditar em uma força maior que vem do alto, do infinito, a força criadora de tudo, principio primeiro de todas elas. Força esta que é chamada de Fé. A condição de pertencer a essa ou aquela religião, de seguir este ou aquele credo, dar-se em diversas situações. Alguns seguem determinadas religiões por imposição familiar, outros escolhem por acreditar que aquela vai servir de consolo e alívio aos seus sofrimentos vivenciados. Certas pessoas, até mesmo por modismo. E é devido a este crescimento religioso imperante não só em nosso país, mas no mundo, que o próprio sistema encarrega-se de PREPARAR os membros que fazem as cúpulas religiosas, dirigentes religiosos encarregados de conduzirem os fieis, que são preparados através de cursos teológicos superiores, seminários e outros de ordem. Isso sem contar que estes mesmos sistemas religiosos também empreende em seus meios a chamada política e a hierarquia religiosa, distribuindo entre se cargos eclesiásticos. Com o desenvolvimento social e cultural dos povos, com os olhos mais abertos para a verdadeira realidade humana, não mais acreditando na desculpa farrapada de que “Tudo é obra de Deus e por isso não se questiona, simplesmente se aceita e domingo te consola em uma igreja”. Isso não convence mais aqueles que realmente buscam compreender o motivo do sofrimento humano, por isso, conhecendo o espiritismo e sua doutrina, esta que vem realmente esclarecer, consolar e preparar o homem para aquilo em que ela realmente se destina que é fazê-lo acreditar em uma vida futura além da material, a vida espiritual e com isso promover neste homem uma reforma intima voltado para a moral e os bons costumes cristãos, para que esta vida espiritual venha ser-lhe de felicidade plena o que ele já mais irá encontrar aqui neste mundo, pois que foi o próprio cristo Jesus quem falou que ela não é desse. Imaginemos agora a doutrina espirita também se tornando um sistema igual a esses outros já existentes. Em que mais iremos acreditar, em que confiar, teremos agora dirigentes de casas ou centros espiritas diplomados, pós-graduados ou doutores? Tais quais os Padres e Pastores que precisam de títulos e ordenações para dirigir os seus cultos e missas, cada qual com ais suas próprias ostentações? Totalmente ao contrário aos princípios cristãos que rege sobre a humildade. É pelo jeito que a coisa vai, é nisso que irá se tornar o espiritismo no Brasil e até mesmo no mundo. Talvez chamem isso de evolução necessária, para então justificar as verdadeiras intenções de quem começou com tudo isso, que acredito ser apenas vaidade e orgulho encoberto, naqueles que fazem questão de ostentar um título. Para estes, quero apenas lembrar que para ser um verdadeiro espirita, antes porém, tem-se um pequenino detalhe que não podemos esquecer já mais, espiritismo não é modismo! Um espirita de verdade já vem de nascença e nestes sempre vem acompanhado um dom dado por Deus que é a MEDIUNIDADE, essa manifestação que os fazem logo de cedo escolherem a doutrina espirita como sendo as vossas religiões a seguirem, pois que sentem em se o compromisso de trabalharem por ela como sendo uma missão assumida e que de fato é desde espiritualidade e isso não tem faculdade ou curso superior, ou pós ou mesmo doutorado que venha ensinar, porque isso vem de Deus, e o que vem de Deus, ensinado está.

  • Lendo todos os comentários fiquei realmente assustada . Será que em busca da aceitação social do espiritismo e a eterna preocupação em combater o preconceito que ainda paira sobre a Doutrina estamos tentando nos igualar com a criação desses cursos universitários? daqui a pouco estremos criando “seminários” para formar trabalhadores.Naõ posso deixar de pensar nos primeiros apostolos homens simples e ignorantes que tiveram como universidade a vida cotidiana com as lições de reforma intima e compromisso com a caridade cristã mais pura. O mestre e doutor Jesus já escreveu e sobretudo mostrou com seus exemplos qual a teologia que nos serve. vejo isso num país de analfabetos se não completos mas principalmente funcionais , uma nova barreira para que a doutrina chegue de forma simples e sobretudo exemplificada aos mais simples e humildes do nosso povo. Teremos agora discursos sobre o amor e a caridade mais cheios de pompa e circunstancias do que exemplos? Valha-me espiritualidade superior!!!!!.

  • Querida amiga, de tudo que aprendi sobre o espiritismo nada traduz melhor do que a sequinte frase : Espiritismo é cultura. Segundo o IBGE a nossa doutrina é a religião que tem maior numero de pessoas com o nivel cultural mais elevado ,porisso devemos honrar essse título que recebemos, as pessoas querem apenas ver o fenomeno e se esquecem do essencial , porisso que cada vez se decepsionam com a doutrina , porque não sabem analizar seus própios fenomenos , temos que levar o conhecimento , essa a nossa missâo de trabalhadores e porque não uma faculdade de teologia espirita ,isso já acontece em Curitiba torço para chegar aqui , no nosso centro espirita já preparamos seminários para trabalhadores, na epóca dos apostolos não existia isso porque era um processo cultural da epoca e temos obrigação de evoluir e eles ,os apostolos tiveram ao vivo e a cores O GRANDE EVANGELIZADOR um abraço Mariza

  • Caros amigos,
    Acredito que estudar o Espíritismo,através de cursos de graduação podem somar ao Movimento Espírita, não implicando na substituição de acadêmicos nos centros espiritas, mais tendo recursos e artigos que possam auxiliar nos trabalhos.
    Uma graduação não significa em nenhum momento que somente estes alunos irão atuar dentro dos centros, mais construir o conhecimento e estudar o fenomeno Espírita.
    O movimento espírita já está consolidado em sua base, e fomentando a busca de novos instrumentos que auxiliarão os trabalhadores da última hora.
    Não devemos porem que estes estudos, modifique a conduta ilibada propósta por Kardec, através do estudo sistemático das obras básicas.
    acredito que o Espiritismo cresce em conhecimento e capacidade de auxiliar na construção de uma nova transição planetária.

  • BOM DIA.
    SE VCS CONHECESSE A BIBLIA SAGRADA,TDOS VCS FUGIRIAM URGENTEMENTE DESSA CEITA MALÍGNA Q É ESPIRITISMO.
    SATANÁS JÁ TOMOU CONTA DA VIDA DE VCS. É ELE Q COMANDA A VIDA DE VCS. A PROVA TA AI MESMO.
    FUJA DEPRESSA DAS GARRAS DE SATANÁS, E VENHA PRA JESUS SE ENTREGAR.
    ESPIRITISMO É UMA CEITA DIABÓLICA COMPROVADA DENTRO DA PALAVRA DE DEUS.FUJA DESSA ARMADILHA DE SATANÁS ENQUANTO VCS TEM VIDA,PQ DEPOIS Q VCS MORRERM O INFERNO É CERTO,ISTO É, SE VCS NÃO SE ENTREGAR PRA JESUS

Então, O que achou?