Ação das Trevas nos Grupos Espíritas

Texto enviado por Luiz Carlos Formiga, nosso amigo e leitor.

Na mensagem abaixo não consta o autor e nem mesmo o Centro Espírita no intuito de  preservar sua identidade e, assim sendo, evitar represálias daqueles que não crêem na vida após a morte.
Encaminho a vocês para que repassem àqueles que acreditam e, principalmente, àqueles que fazem algum trabalho em alguma casa espírita.
Infelizmente, muitos de nós acreditamos que pelo simples fato de sermos espíritas as “portas do paraíso” já estão escancaradas (hum….) e deixamos que nosso ego fale mais alto em nossos trabalhos quando deveríamos deixar que apenas o AMOR e a HUMILDADE fossem nosso guia.
Para mim, este e-mail caiu como uma luva!!!!!
Um super abraço e que tenhamos um fim de semana repleto de paz e de luz! 
 

“Prezados irmãos. Que Jesus nos abençoe e nos fortaleça no seu amor.

Quando nos propomos a falar da Ação das Trevas nos Grupos Espíritas, antes de tudo precisamos saber de quais Espíritos estamos falando, porque a grande maioria de Espíritos obsessores que vêm às Casas Espíritas são mais ignorantes do que propriamente maldosos. No livro “Não há mais tempo”, organizado pelo Espírito Klaus, nós publicamos uma comunicação de um verdadeiro representante das organizações do mal e percebemos que há uma grande diferença entre o que nós classificamos como Espíritos obsessores e os verdadeiros representantes das trevas.
Eu estava presente na reunião na qual essa entidade se manifestou. Quando o Espírito incorporou a doutrinadora disse: “Seja bem vindo meu irmão!”. Ele respondeu: “em primeiro lugar não sou seu irmão, em segundo lugar eu conheço o seu sentimento. Sei que você não gosta nem das pessoas que trabalham com você na casa, que dirá de mim que você não conhece. Por isso duvido que eu seja bem vindo aqui”. Ela ficou um tanto desconsertada, porém, disse: “mas meu irmão, veja bem, isto aqui é um hospital”. Ele respondeu: “muito bem, agora você vai dizer que eu sou o doente e que você vai cuidar de mim, não é isto?”. Ela disse: “Sim”. “Pois bem, e quem garante para você que eu sou um doente? Só porque eu penso diferente de você. Aliás, o que a faz acreditar que possa cuidar de mim? Quem é que cuida de você? Porque suponho que quando alguém vai cuidar do outro, este alguém esteja melhor que o outro e, francamente, eu não vejo que você esteja melhor que eu. Porque eu faço o mal? Porque sou combatente das idéias de Jesus? Sim, é verdade, mas admito
isto, enquanto que você faz o mal tanto quanto eu e se disfarça de espírita boazinha”.
Outro doutrinador disse: “meu irmão, é preciso amar”. O Espírito respondeu: “acabou o argumento. Quando vocês vêm com esta ladainha que é preciso amar é que vocês não têm mais argumentos”. “Mas o amor não é ladainha meu irmão”. “Se o amor não é ladainha por que o senhor não vai amar o seu filho na sua casa? Aliás, um filho que o senhor não tem relacionamento há mais de 10 anos. Se o senhor não consegue perdoar o seu filho que é sangue do seu sangue, como é que o senhor quer falar de amor comigo? O senhor nem me conhece.
Vieram outros doutrinadores e a história se repetiu até que, por último, veio o dirigente da casa e com muita calma disse: “Não é necessário que o senhor fique atirando estas verdades em nossas faces. Nós temos plena consciência daquilo que somos. Sabemos que ainda somos crianças espirituais e que precisamos aprender muito”. “O Espírito respondeu: “até que enfim alguém com coerência neste grupo, até que enfim alguém disse uma verdade. Concordo com você, realmente vocês são crianças espirituais e como crianças não deveriam se meter a fazer trabalho de gente grande porque vocês não dão conta”.

COMO AGEM OS ESPÍRITOS REPRESENTANTES DAS TREVAS EM NOSSOS NÚCLEOS ESPÍRITAS?

Como vimos, os verdadeiros representantes das trevas além de maldosos são, também, extremamente inteligentes. São Espíritos que não estão muito preocupados com as Casas Espíritas. Eles têm suas bases nas regiões da Sub-Crosta. São Espíritos que estiveram envolvidos, por exemplo, na 1ª e 2ª guerras mundiais e no ataque às Torres Gêmeas nos Estados Unidos. São os mentores intelectuais de Bin Laden, de Sadam Hussein e de inúmeros outros ditadores que já passaram pelo mundo, porque eles têm um plano muito bem elaborado, que é o de dominar o mundo. Os grupos espíritas não apresentam tanto perigo para eles. Esses Espíritos estarão sim atacando núcleos espíritas desde que o núcleo realmente represente algum perigo para as intenções das trevas. Portanto, quando nós falamos das inteligências do mal nós estamos falando destes Espíritos que têm uma capacidade mental e intelectual muito acima da média em geral. Normalmente não são esses Espíritos que se comunicam nas nossas sessões mediúnicas. Normalmente eles não estão preocupados com os nossos trabalhos, a não ser que esses trabalhos estejam bem direcionados, o que é muito difícil, e representem  algum perigo para eles.
Nós que vivemos e trabalhamos numa Casa Espírita sabemos bem dos problemas encontrados nas atividades desses grupos. Para ilustrar vou contar para vocês um fato verídico ocorrido numa Casa Espírita. Um Espírito obsessor incorporou na sessão mediúnica e disse para o grupo: “Nós viemos informar que não vamos mais obsediar vocês. Vamos para o outro grupo”. Houve silêncio até que alguém perguntou: “Vocês não vão mais nos obsediar, por quê?”. O Espírito
respondeu: “existe nesta casa, tanta maledicência, tanta preguiça, tanto atrito, tantas brigas pelo poder, tantas pessoas pregando aquilo que não praticam, que não precisamos nos preocupar com vocês, você mesmos são obsessores uns dos outros”. 
 
 POR QUE REALIZAR UM SEMINÁRIO RESSALTANDO A AÇÃO DAS TREVAS? FALAR DO MAL NÃO É AJUDAR O MAL A CRESCER?

No livro a “Arte da Guerra” está escrito: “se você vai para uma guerra e conhece mais o seu inimigo que a você mesmo, não se preocupe, você vai vencer todas as batalhas. Se você conhece a si mesmo, mas não conhece o inimigo, para cada vitória você terá uma derrota. Porém, se você não conhece nem a si mesmo e nem ao inimigo, você vai perder todas as batalhas”. Infelizmente, a grande maioria das pessoas não conhece a si mesma. Têm medo da reforma intima, têm medo do que vão encontrar dentro de si. Negam a transformação interior. Precisamos falar das trevas para conhecermos as trevas. Se não conhecermos como eles manipulam os tarefeiros espíritas como é que vamos saber nos defender deles. Para isso é preciso refletirmos nesta condição de nos conhecermos, até porque toda ação das trevas exteriores é um reflexo das trevas que nós carregamos dentro de nós. É preciso realmente realizarmos a nossa reforma interior para sairmos da sintonia dessas entidades.

E OS GUARDIÕES QUE CUIDAM DO CENTRO, COMO É QUE FICA?

Não podemos esquecer que os benfeitores espirituais trabalham respeitando o nosso livre arbítrio. Uma Casa Espírita como esta possui o seu campo de proteção, uma cerca elétrica construída pelos benfeitores, porém, quem a mantém ligada são os trabalhadores encarnados. Toda vez que há brigas dentro do centro, toda vez que há grupos inimigos conflitando-se, toda vez que há maledicências, é como se houvesse um curto circuito nesta rede, é como se houvesse uma queda de energia, e as entidades  do mal entram. Os benfeitores espirituais estão presentes, a rede é religada, mas, as entidades do mal já entraram. O grande problema é que quase sempre nós não estamos sintonizados com o bem. A ação do bem em nossa vida é fundamental.. Por exemplo: o Umbral não é causa, o Umbral é efeito. Só existe o Umbral, a zona espiritual inferior que cerca o planeta, porque os homens têm sentimentos medíocres e inferiores. No dia que
a humanidade evoluir o Umbral desaparece, porque ele é conseqüência. Por isso que não podemos nos esquecer que as trevas exteriores são apenas uma extensão das nossas trevas interiores. Existe, sim, a proteção espiritual nas Casas Espíritas, porém, os Espíritos amigos respeitam o nosso livre arbítrio.

COMO É QUE OS GRUPOS ESPÍRITAS PODEM SE DEFENDER DAS TREVAS?

• Havendo muita sinceridade, amizade verdadeira e, principalmente, muito amor entre todos os colaboradores do grupo.
• Existindo a prática da solidariedade, carinho e respeito para com todas as pessoas que buscam o grupo ou para estudar ou para serem orientadas ou para receberem assistência espiritual..
• Havendo muito comprometimento com a causa espírita.
• Realizando, periodicamente, uma avaliação dos resultados obtidos, para verificar se os três itens anteriores estão realmente acontecendo . 

Ação das Trevas – Em outras palavras

Carlos Aveline nos fez pensar. Reproduzo trechos em itálico.(1)

Uma casa espírita deve pensar na “sociologia da solidariedade”. “Um modo solidário de produzir, trabalhar e viver em sociedade. Esse modo solidário de produção começa a ser possível quando os indivíduos definem como meta exigir mais de si mesmos do que dos outros, e decidem controlar mais a si mesmos que ao mundo externo”.

São inadequadas as estruturas de poder que repousam na idealização cega de uma pessoa ou aquelas baseadas na desconfiança e na competição. O exercício da sinceridade solidária é saudável. A dose certa de ceticismo evita a cegueira, embora dose excessiva possa asfixiar.

“Três coisas incorporam grande quantidade de valor a tudo o que é relativo ao caminho espiritual: conhecimento, trabalho e intenção solidária. Essa combinação ilumina o conceito de democracia e são indispensáveis para colocar uma instituição espiritualista em movimento”.

Inteligentes e procurando amar (6) uns aos outros, os membros da equipe de Jesus eram identificados. Até para os de fora isso era tarefa fácil: “Nisto todos os reconhecerão”.

“Os níveis de trabalho acumulado e de experiência são diferentes entre pessoas, por isso a democracia espiritual não significa que todos têm igual peso, necessariamente. Se a democracia impedisse o processo de liderança dos mais experientes, o grupo se nivelaria por baixo e teria apenas a força do mais fraco dos seus elos”.

Algumas pessoas, embora ocupem um cargo por muitos anos, nunca chegam a ser lideres. Liderança é transparente, aberta a questionamentos e só pode existir e manter-se pela constante renovação do seu reconhecimento por parte dos membros do grupo.

 “Com o passar do tempo, a liderança se torna cada vez mais interior e se refere menos aos procedimentos externos, salvo em certos momentos decisivos”.

A força de uma instituição está na clareza e na nobreza de suas metas; na eficiência dos seus métodos; na intensidade do seu trabalho e na confiança recíproca dos seus associados.

Líderes não procuram apegar-se aos cargos. Na casa espírita, o modelo é Jesus.(7)

15 Comentários

  • Lembrem-se que o conhecimento da Verdade nos libertará, então é preciso conhecer as trevas para poder dar valor a Luz! O conhecimento de nós mesmos é tarefa urgente em todas as Casas. O senhores dss trevas estão aí e mudarão o nosso mundinho…

    Excelente texto. Bem focado e explicito, só não vê que não tem “olhos de ver e ouvidos de ouvir…”.

    A cada um seu quinhão – de dor!.

    Parabéns.

  • Meu amigo Luiz Carlos, tudo que vc falou faz muito sentido, temos que vigiar primeiro o nosso comportamento,se não agimos segundo a doutrina espirita, como poderemos querer que o nosso irmão o faça.
    Falar é muito mais fácil do que fazer.
    Um abraço.
    Heloisa

  • Muito bom mesmo. Inclusive irei tirar cópia para levar para o centro espírita que trabalho. Ela (a mensagem) nos chama a atenção quanto à necessidade urgente da nossa reforma íntima. Da necessidade de estarmos sempre vigilantes,orando, pois na prática quando decidimos nos melhorar, surgem aqueles montanhas, em forma de situações dificéis, de pessoas, do dois planos, interessados pela nossa desistência desse propósito. O tempo urge e necesário se faz, que aproveitemos essa reencarnação. Muita Paz. Edilene Silva.

  • Prezado Editor,

    Os pequenos cortes feitos no e-mail original parecem lançar confusão em relação a “autorias”, por isso
    informo:

    1. A parte do texto que me pertence é. apenas, a que começa com o subtítulo “AÇÕES DAS TREVAS, EM OUTRAS PALAVRAS”, que foi recentemente disponibilizado no jornal O REBATE, com o título – APEGO AO CARGO, O PODER NEURÓTICO, 31 de março de 2011.

    http://orebate-jorgehessen.blogspot.com/2011/03/apego-ao-cargo-o-poder-neurotico.html

    2. Embora o e-mail que repassei diga que não consta o autor e Casa Espírita, com os recursos oferecidos na WEB, eles podem ser encontrados. Veja:

    http://www.agnaldopaviani.com.br/artigos/

    http://oliviobritto.wordpress.com/

  • Independente da autoria, foi extremamente importante esse relato!
    Vou utilizar e repassar, indicando a Fonte.
    Abraços, muita paz e luz! Erika

  • Esse texto pacifica e emociona por percebermos tantos irmãos queridos e seriamente comprometidos com a Verdade e o Bem.
    Obrigada Formiga A SUA RESPOSTA FOI COMPLETA.
    MUITA pAZ!
    QUE JESUS NOS AJUDE A PROSSEGUIR…

  • Olá,
    Foi de grande auxílio este texto,ele deveria ser lido
    nas casas espiritas, sem melindres, apenas com o intuito
    de aprendizado.Enquanto não fizermos a reforma íntima
    verdadeira, estaremos sujeitos as investidas das trevas.
    Não podemos pensar que somos infáliveis por sermos espi
    ritas.A responsabilidade é muito grande. Somos espíritas
    mas ainda num planeta que esta´buscando a regeneração.
    A palavra SERVIR é importante mas SERVIR COM AMOR, eis
    o nosso escudo.
    Saudações fraternas!
    Obrigada pelo alerta.

  • ola

    otimo texto. muito claro e direto.
    iniciarei estudo de mediunidade em abril, e com certeza vou sempre levar esse texto sempre comigo.

  • gostei muito do texto nos ajuda a refletir sobre muitos atos que praticamos como espirita muito bom.

  • Muito bom , mais uma vez vamos parar e refletir, a nossa responsabilidade é muito grande,sabemos que quanto mais conhecimento, mais responsaveis somos.

    muita paz

  • Nada ACONTECE por ACASO.
    Sabemos que o planeta atravessa um periodo de RENOVAÇÂO /TRANSFORMAÇÂO a caminho de MUNDO de REGENERAÇÂO, para as ALMAS que aqui vão ENCARNARNANDO. Esse processo MARAVILHOSO, está acontecendo e o PERCEBEMOS todo o dia, faz parte da Lei Natural Divina do PROGRESSO.
    O meio Espírita como um todo, faz parte da HUMANIDADE que aqui HABITA atualmente, e portanto são ALMAS que estão ainda nas trevas, Espíritos Imperfeitos TERCEIRA ORDEM, e algumas POUCAS, BONS ESPÌRITOS SEGUNDA ORDEM.
    A maioria está ainda muito CONDICIONADA aos preceitos e cultos das RELIGIÔES que predominam á SÈCULOS, e como tarefeiros Espíritas continuamos contaminando o verdadeiro ESPÌRITISMO de Allan Kardec.
    Mas a Lei do Progresso tb vai atuar no meio Espírita, e o ser humano VELHO dará lugar ao SER HUMANO NOVO, ou seja ao ESPÌRITA NOVO, RENOVADO.
    ESPERANÇA e FÈ RACIOCINADA.
    Manuel de MAcedo

  • Quando falamos em trevas não devemos pensar somente em espíritos desafiadores que apontam nossos defeitos para nos desmoralizar, alguns deles até nos dão uma espécie de choque de alta voltagem em nossa consciência e percebemos que não temos o direito de julgar o outro, principalmente com relação ao preconceito velado que existe entre o meio religioso contra os ditos “imorais”!
    Muitas pessoas não somente nas casas espíritas ou em outras religiões, pregam o amor e a caridade do evangelho, mas são traídas pelo seu olhar de condenação e desprezo ao outro , são lobos em pele de cordeiro!! pensemos nisso!!

  • Quando falamos em trevas não devemos pensar somente em espíritos desafiadores que apontam nossos defeitos para nos desmoralizar, alguns deles até nos dão uma espécie de choque de alta voltagem em nossa consciência e percebemos que não temos o direito de julgar o outro, principalmente com relação ao preconceito velado que existe entre o meio religioso contra os ditos “imorais”!
    Muitas pessoas não somente nas casas espíritas ou em outras religiões, pregam o amor e a caridade do evangelho, mas são traídas pelo seu olhar de condenação e desprezo ao outro , são lobos em pele de cordeiro!! pensemos nisso!!!

  • Muito elucidativo. Realmente, como podemos querer mudar um irmão trevoso se não damos o exemplo ! Orai e Vigiai !!

  • Parabéns pela lucidez, por ver as coisas na realidade e não na idealização. Estou psicólogo a 34 anos e me envolvi com a espiritualidade desde 14 anos de idade. Estive em várias religiões buscando responder quem sou, de onde vim e pra onde vou. Foi maravilhoso descobrir que Deus me daria essas respostas se olhasse para dentro de mim e principalmente observasse minhas atitudes frente aos meus irmãos e o meio ambiente. O que mais me encanta é compreender que Deus está dentro de mim, para me ensinar e orientar. Segundo os Orientais e muitos Ocidentais, “no corpo há sete casas de consciência. A primeira ´a casa de São Pedro, traz a consciência de enraizar na Mãe Terra para procriar e direcionar sua saúde neste mundo, pela dor e prazer pela vida, a segunda casa está a consciência do Bem e do Mal. a consciência do verbo TER. Nossa existência não consegue subir para a terceira casa, O EU SOU, mesmo depois da consciência que O Cristo nos trouxe sobre o AMAR AO PRÓXIMO COMO A Si MESMO. A consciência do Ter, do bem e do mal nos leva a uma consciência EQUIVOCADA. Assim entramos nos JULGAMENTOS uns dos outros e nos perdemos de nós mesmos. A pessoa sempre está certa, o outro esta errado, eu sou bom, o outro é está equivocado e errado. Assim surgiu a guERRA, Na tERRA. Vamos apenas ERRAR atá quando, pensando que está certo. No plano da Terra, de ter e errar, a função é apreender e ensinar, desenvolvendo as outras casas de Deus em nosso corpo: EU AMO; EU FALO SANTAS PALAVRAS, EU PERCEBO O MUNDO ESPIRITUAL; EU EXISTO PARA, COM E DE DEUS. Somos CRIATURAS E NÃO CRIADORES DE NADA. Obrigado por essa bela lição desta casa espírita e a este Espírito “MAL”.

Então, O que achou?