19 maio
2011

Espiritismo e espíritas

 Por: Thiago Silva Bacelli é orador espírita, psicólogo clínico e graduado em direito

Infelizmente, temos tido notícias acerca do Movimento Espírita de desunião e desarmonia entre os seus seguidores e pretensos líderes.

É muita gente preocupada em desenvolver o potencial mediúnico, deixando de lado as tarefas em torno do Bem.

Todos querem pegar uma caneta ou um lápis e psicografar as mensagens da Espiritualidade Amiga, no entanto, são poucos os que se dispõe a pegar uma vassoura ou um espanador para limparem a Casa que frequentam.

Muitos pleiteiam participar das reuniões mediúnicas no trabalho de incorporação ou na conversação fraterna com os espíritos, todavia apenas alguns se propõem a desenvolver, quiçá, semanalmente, alguma atividade voluntária, de caráter desinteressado.

E o pior que são justamente estes que não fazem praticamente nada em torno do ideal que julgam abraçar que buscam minar as forças daqueles que, imperfeitamente, tentam algo fazer.

Críticas e mais críticas, maledicência, preocupação excessiva com a vida alheia afloram dentro dos arraiais espiritistas…

Dentro deste assunto, recordamos do que Jesus nos disse, no Evangelho de Mateus, VII: 3-5: “Por que vês tu, o argueiro no olho do teu irmão, e não vês a trave no teu olho? Ou como dizes a teu irmão: Deixa-me tirar-te do teu olho o argueiro, quando tens no teu uma trave? Hipócrita, tira primeira a trave do teu olho, e então verás como hás de tirar o argueiro do olho de teu irmão”.

O Mestre é bastante claro e eloquente, sem necessidade de efetuarmos qualquer comentário a respeito, contudo, necessitamos frisar que a Doutrina Espírita é, sim, um bálsamo de luz; entretanto, nós, espíritas, somos seres humanos comuns, que erramos e acertamos como quaisquer outros.

Cada um faz o que pode dentro do respectivo raio de ação onde se encontra, aproveitando o tempo da melhor maneira possível!

Agora chegamos a achar graça à cobrança que existe de certos espíritas – aludindo de maneira vil a uma suposta perfectibilidade – em relação a outros; afinal, o conhecimento que adquirimos já não seria o suficiente para fazermo-nos preocupar com as nossas próprias mazelas?!

Chico Xavier disse certa vez: “Se Allan Kardec tivesse escrito que “fora do Espiritismo não há salvação”, eu teria ido por outro caminho. Graças a Deus ele escreveu “Fora da Caridade”, ou seja, fora do Amor não há salvação”.

E a cada dia que passa compreendemos melhor o que o nosso estimado irmão quis nos dizer…

O Amor é realmente o facho resplandecente que nos faz crescer e compreender o próximo, e não a julgá-lo de forma ignominiosa.

É preciso que haja mais união e fraternidade em nossas fileiras, para que a Doutrina Espírita, na figura de Consolador Prometido, possa realmente beneficiar mais pessoas!

Ou será que estamos preocupados em sermos os únicos beneficiados?!

A todos, fica aqui o registro de nossas palavras para objeto de reflexão do Movimento do qual supomos também fazer parte!

Você também encontra este artigo aqui: http://www.jornaldeuberaba.com.br/?MENU=CadernoA&SUBMENU=Opiniao&CODIGO=42748

5 Comentários

  • Achei muito interessante o comentário de Baceli sobre nós espiritas, que muitas vezes queremos aparecer, ao invés de abraçarmos a causa com humildade, não importa o trabalho, e sim o amor e a caridade com os irmãos.
    abraços fraterno.

  • Concordo plenamente com este belissimo artigo…e ainda podemos complementar com a maior das palavras que faz ainda muita falta em varios lugares : HUMILDADE !!!!
    Nas pegadas do Mestre e seguindo os ensinamentos, junto ao AMOR, segue incondicionalmente a HUMILDADE como regra de conduta em todos os momentos de nossa vida…

    Parabéns ao querido amigo pelo belissimo artigo e por nos alertar sobre a verdadeira prática espírita.
    Muita paz

  • grandeza espiritual ele nunca se colocou superior ao grupo.

    “Poder possui duplo sentido. Um é a posse de poder sobre alguém. O outro é a posse de poder para fazer algo, o que nada tem a ver com dominação, mas maestria no sentido de capacidade. Aí, poder significa potência. Dominação e potencia são excludentes, uma vez que o primeiro é a perversão do segundo”.

    Uma casa espírita deve pensar na “sociologia da solidariedade”. “Um modo solidário de produzir, trabalhar e viver em sociedade. Esse modo solidário de produção começa a ser possível quando os indivíduos definem como meta exigir mais de si mesmos do que dos outros, e decidem controlar mais a si mesmos que ao mundo externo”.

    São inadequadas as estruturas de poder que repousam na idealização cega de uma pessoa ou aquelas baseadas na desconfiança e na competição. O exercício da sinceridade solidária é saudável. A dose certa de ceticismo evita a cegueira, embora dose excessiva possa asfixiar.

    “Três coisas incorporam grande quantidade de valor a tudo o que é relativo ao caminho espiritual: conhecimento, trabalho e intenção solidária. Essa combinação ilumina o conceito de democracia e são indispensáveis para colocar uma instituição espiritualista em movimento”.

    LEIA MAIS
    http://orebate-jorgehessen.blogspot.com/2011/03/apego-ao-cargo-o-poder-neurotico.html

  • Realmente, tenho observado que algumas pessoas se equivocam quanto a vida cristã. Hoje em dia,as pessoas querem as câmeras,as luzes, a liderança, enfim,fazem tudo para estarem no estrelato. O estrelato faz parte da vida profissional e social do indivíduo. O ser cristão deve estar atento a não se deixar influenciar por nada disto. As palavras de Jesus são claras quanto à humildade, o desapego, a caridade e o amor. O palco não é lugar para aquele que tem como mestre o Jesus.

  • Acredito no espirita quando age como um verdaeiro espirito de luz no universo do ensinamento do Espiritismo.
    O verdadeiro espirita a luz do espiritismo seria aquele que vive para a evolução do seu semelhante.
    Bem aventurados sejam aqueles que ensinam a palavra da revelação sem almejar ser o privliegiado.
    Vejam os exemplos de Irmã Dulce, Francisco Xavier, Madre Tereza e outros, eles nunca preenderam lucrar com suas missões.
    No universo luz o espirito escolhe e recebe a missão para cumprimento em um corpo humanizado para aquisição do conhecimento luz em forma de amor,bondade e caridade, cujos elementos são necessários para a evolução do Planeta Terra
    O pior espirita é aquele que não está falando a verdade mais defende seu ensinamento como verdadeiro para vender sua obras e conseguir seguidores e destaques social.
    Acredito no espírita quando age como um verdadeiro espirito de luz no universo do ensinamento do Espiritismo.
    Abraço fraterno de:
    Luiz

Então, O que achou?