12 jan
2010

Retorno atividades 11/01/2010

Ontem dia 11/01/2010 foi o retorno as atividades do Centro Espírita Irmã Catarina, onde trabalho como voluntário [coordenando] no Atendimento Fraterno [ainda organizando].

Fiquei feliz em rever amigos [encarnados] trabalhadores da casa e mais ainda, todos presentes com vontade renovada depois dessas [férias].
Nós trabalhadores encarnados tivemos esse recesso, já o plano espiritual da casa não, trabalham 24h todos os dias do ano. Ainda chegaremos lá.
Fiquei feliz da mesma maneira em ver que recebemos muitas pessoas na casa para assistir a palestra e passes, e ainda pessoas vindas de outras cidades da região, e até da cidade São Manoel que não é tão perto. Sejam todos bem vindos.

Costumo sair do trabalho, passar em casa e depois seguir para a casa e ao trabalho dentro de minhas capacidades de ajudar, claro que receber mais que ajudar.

Estando em casa, para meus afazeres normais, percebi [como uma sombra] movimentando-se de um lado para o outro no local onde eu estava. Não conseguia identificar quem era ou ao menos vizualizar melhor. Na verdade já algum tempo vinha percebendo essa movimentação, mas até então pensei ser apenas uma impressão de momento, coisa que acontece quando estamos fazendo algo e temos a impressão de alguém passando ao lado [desencarnado ou não], realmente pode não ser um desencarnado, apena uma impressão devido a certa posição no momento de claridade do ambiente com o globo ocular em movimento.


Mas ontem percebi claramente, depois de alguns dias vendo essa movimentação, essa sombra muito mais vezes. Fiz uma prece, para que tanto eu como o amigo presente recebecemos o auxilio dos trabalhadores de boa vontade em amparar o amigo presente como eu. Como desta vez não estava conseguindo vizualizar corretamente quem estava presente, [isso não quer dizer que seria um desencarnado perturbador], afinal mesmo vendo ele durante mais de uma semana,[sombra], somente ontem percebi que realmente era um desencarnado, sei que pode ser um amigo, afinal todos nós ainda estamos na sombra, não estamos totalmente libertos dos apegos materiais.
Logo após a prece percebi um amigo no ambiente e esse pude vê-lo normalmente onde me fez um sinal de cumprimento e em minha mente logo escutei “é apenas um irmão aguardando para ir ao Irmã Catarina, estarei levando-o para atendimento na casa”, e continuei escutando… “foi recolhido da rua”.
Agradeci por esse auxilio que muito mais eu recebi, pela oportunidade que me foi dada em perceber o trabalho que se é realizado e que muitas e muitas vezes não sabemos, não percebemos. Minha participação não foi nada, apenas de ver a atuação e auxilio.

Foi ai que tive mais uma vez a confirmação da verdade que Deus não desampara nenhum de seus filhos.

Saúde e paz a todos.

Então, O que achou?